Au pair en France

Au pair en France

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Ro e Caê

Eu ja disse que tenho habito de assistir Fantastico e Globo Reporter pela internet. Essa semana vi uma reportagem sobre a Turquia no GR que me deixou com agua na boca, certa de que antes de voltar eu preciso ir la, tirando dinheiro da sola do sapato.

E agora, nesse momento, acabo de ver Caetano e Roberto Carlos cantando juntos. Ah, como eu perdi esse momento! Fiquei babando, babando, babando, alem de invejar Patricia Poeta na frente deles. Quem sabe um dia eu nao dou uma sorte dessas?

E vcs? o que têm feito? queria sugestao de assuntos para eu poder postar, pq sobre o meu dia a dia todo mundo ja sabe de cor e salteado.

Aguardo sugestoes! beijos!

4 comentários:

Anônimo disse...

Oi Lorena!!:)
Tudo bem?! Ai, que bom que a Rafa comentou com vc, porque eu realmente queria muito falar com vc!!
Estou com viagem marcada para Paris em dezembro/2008 e pretendo ficar três meses e toda sugestão é mais que bem-vinda, afinal é a primeira vez que viajo para o exterior e sozinha!!!Em março pretendo ainda fazer um mochilão pela Europa e a princípio estou indo para estudar, mas gostaria de tentar arrumar um emprego tb...
o que vc acha?!!O que vc me sugere?

Valeu pela atenção!!!
Bjos
Tamara

Anônimo disse...

Crítica
Fonte:
Data: Folha de S.Paulo
27/08/2008

Roberto e Caetano fazem show chato
Primeiro espetáculo que reuniu os dois cantores em São Paulo foi modorrento e marcado pela turba de celebridades

SYLVIA COLOMBO
DA REPORTAGEM LOCAL
Celebridades loucas para aparecer, fotógrafos emperrando a passagem, portões que não abrem, artistas que se atrasam, excesso de convidados, inserções abusivas de agradecimentos a patrocinadores, desrespeito ao público em geral.
Duas coisas marcaram o aniversário de 50 anos da bossa nova. A que preponderou até aqui foi, certamente, esse frenesi coletivo pelo bochicho nos eventos de comemoração.
A outra ecoou na pequena série de espetáculos arrogantes e modorrentos, que começaram com as apresentações de João Gilberto, no último dia 14, e terminariam ontem, com o último dos concertos que reuniram os míticos Roberto Carlos e Caetano Veloso, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.
Eventos elitistas, onde cantar baixinho sobre o amor, a saudade, o Corcovado e as belezas da orla carioca legitimavam o privilégio e a sofisticação de uma casta.
Na apresentação da segunda-feira, a dupla não se saiu mal. Nem poderia. Alguém duvida que esses dois gigantes da música popular brasileira podem cantar "Garota de Ipanema" ou "Chega de Saudade" muito bem? É claro que não.
O problema do espetáculo não era esse. E sim o seu conceito. Ambos os artistas aceitaram passivamente fazer um show contido, bem-comportado, de arranjos convencionais, e que não trouxe nada diferente ou intrigante para um público cuja última coisa que parecia querer era se surpreender.
O primeiro bloco, o de Caetano, foi melhor. O cantor, emocionado, abriu o coração para interpretar faixas que o haviam influenciado. "Caminho de Pedra" e "O que Tinha de Ser" foram o melhor da noite.
Acontece que Caetano, que sempre foi genial por tentar sair do padrão, ao lado de Roberto se intimidou. Fantasiou-se de sujeito mais velho e, para não destoar do rei, evitou dançar ou adotar o gestual típico que leva aos palcos e dá graça a seus próprios shows.
Já Roberto não fugiu em nada de seu formato. Não foi ele quem cantou bossa nova, foi a bossa nova que entrou no seu universo. Se depois de "Insensatez" ele emendasse uma canção qualquer de ser repertório, digamos "Jesus Cristo", e saísse distribuindo rosas ao público, ninguém estranharia. Quando Roberto está no palco, é apenas um show de Roberto o que vemos. Seja qual for o set list.
Quando cantaram juntos, foram artificiais, entre sorrisos amarelos e abraços pela metade. Algum humor em "Teresa da Praia". Nada demais em "A Felicidade". Fecha-se a cortina, acendem-se as luzes, o público aplaude... olhando para trás! Claro, era a última chance de vislumbrar suas celebridades favoritas saindo de cena.
Pobre Tom Jobim...
Avaliação: ruim

--------------------------
Lorena, segue a crítica da Folha sobre o show. Tudo bem, críticos são chatos também, mas esse show foi de doer ! O Cartano, em alguns momentos, dava uma certa bandeira sutil de estar envergonhado.
beijos
Joao

Dé disse...

Deixo aqui minha contribuição para discussão, o link para o blog do Bruno Medina. Só um adendo, os jornais cariocas tb não pouparam críticas ao show, especialmente a Caetano, que segundo eles, "teve uma atuação, tímida, pouco à vontade e sem graça, muito diferente do Caetanos que estamos habituados a ver em seus shows".

Minha opinião sobre isso tudo? Deixa pra lá rsrsrsrs

Beijão pra vc Ló.
Saudades.

http://colunas.g1.com.br/instanteposterior/2008/08/29/alguma-coisa-esta-fora-da-ordem/

Anônimo disse...

E aí Lorena, como vai ? Cansada ou animada ? O verão ainda tá aí ou já abriu as portas para o outono ?
beijo
Joao